Arquivo

Posts Tagged ‘GP do Bahrein’

Novo procedimento de Parque Fechado é aprovado

Carros ficarão na garagem das equipes, mas monitorado por câmeras

Depois de um teste feito no GP do Bahrein, a FIA ganhou a autorização para efetivar o novo sistema de Parque Fechado em 2010.

Ao contrário do que foi feito até o fim do ano passado, quando todos os carros ficavam guardados na mesma garagem, a FIA decidiu inovar: cada equipe pode ficar com o respectivo equipamento, mas uma câmera no teto dos boxes servirá de guardiã.

Cada carro terá uma câmera exclusiva, e o circuito fechado será monitorado por seguranças, que alertarão a FIA se visualizarem alguém modificando o carro. E a câmera é inteligente: ativa o modo de alta definição quando detecta alguma movimentação próxima ao carro.

A experiência feita em Sakhir foi considerada bem-sucedida, e o processo deve ser feito nas etapas restantes desta temporada.

[Fonte: tazio.uol.com.br] - Autor: Da Redação  - Foto: Google

Líder da Ferrari acalma os ânimos e pede humildade

Luca di Montezemolo diz que escuderia italiana ainda tem muito que melhorar

Luca di Montezemolo já está em Melbourne, para acompanhar os preparativos para o GP da Austrália, que acontece neste final de semana. Mais que isso, o presidente da Ferrari tem o objetivo de acalmar os ânimos e colocar os pés de todos no chão.

Apesar da dobradinha no pódio conquistada por sua dupla de pilotos, Felipe Massa e Fernando Alonso, vencedor da corrida no Bahrein, o dirigente diz que o time de Maranello ainda tem muito que melhorar para se garantir no topo.

Devemos ter muita humildade nesta corrida. Sabemos que ainda temos muito a fazer e ainda há muita coisa a ser melhorada, como performance e reabilitação, disse Montezemolo ao site oficial da Ferrari.

É importante nos mantermos com os pés no chão. Em Melbourne será fundamental fazer um ótimo tempo no treino classificatório porque, como é comum em circuitos de rua, largar na frente pode determinar o resultado final.

Apesar do resultado positivo no Bahrein, a Ferrari sofreu com problemas nos motores de seus dois carros. Por isso, os mesmos tiveram de ser trocados antes da corrida, por conta de superaquecimento. No momento, esta é a questão que exige maior dedicação de engenheiros e mecânicos.

[Fonte: tazio.uol.com.br] - Autor: Da Redação  - Foto: Google

Rubens fala das mudanças para a Austrália

Rubens Barrichello espera que o GP da Austrália deste domingo (28) seja mais competitivo que a prova disputada no Bahrein em 14 de março, data que marcou a abertura do calendário 2010 da Fórmula 1. Perguntado se esperava uma mudança de etapa para etapa, o brasileiro destacou o novo momento da F-1.

Nessa F-1 moderna temos mudança a cada etapa seguramente. Nós tivemos alguns problemas no Bahrein em relação ao calor que foram resolvidos para Melbourne e para futuras provas de calor intenso. Teremos também algumas pequenas evoluções aerodinâmicas. Com tudo isso, espero ter um fim de semana mais competitivo do que no Bahrein, disse o piloto.

Barrichello ainda revelou que o circuito de Albert Park é um dos melhores para se correr. É uma das pistas que mais gosto, não só pelo traçado, mas também pelo ambiente relaxado. Parece que não estou em uma pista de rua, pois têm curvas de alta velocidade e uma boa área de escape, relatou o brasileiro.

[Fonte: amigosdavelocidade.uol.com.br] - Autor: Da Redação - Foto: Google

“Não podemos agir com a emoção”, diz Domenicali

Chefe da equipe Ferrari explica os planos da escuderia para o GP da Austrália

Stefano Domenicali, chefe da equipe Ferrari de F-1, ganhou uma motivação a mais na Austrália, onde acontece a segunda etapa da temporada. O italiano viu sua dupla de pilotos, Felipe Massa e Fernando Alonso, conquistarem uma dobradinha no Bahrein, o que colocou o time de Maranello no topo.

Entretanto, para o dirigente não basta apenas seguir essa fase. É preciso que a equipe mantenha os pés no chão para buscar resultados ainda melhores, além de conseguirem superar os problemas no motor que atrapalharam o desempenho da F10.

Ficaria muito feliz se nossa escuderia pudesse terminar em primeiro e segundo em todas as corridas. Entretanto, ainda é muito cedo para tirarmos conclusões e não podemos agir de uma maneira emocional, afirmou.

Precisamos esperar e vê como as corridas evoluem durante a temporada e, então, estudá-las calmamente, baseados em evidências.

A escuderia, que já está em Melbourne, para o GP da Austrália, destacou em seu site oficial uma certa limitação que encontrou no paddock, já que estava acostumada a trabalhar com mais especo antes da chegada das novas equipes.

O espaço para trabalho está ainda mais limitado neste ano, com a chegada de dois novos times. Entretanto, há uma área comum às equipes, substituindo o que falta em facilidade, com o charme e atmosfera que um único paddock no calendário pode oferecer, com grama do lado de fora dos escritórios e áreas de hospitalidade.

No momento, os engenheiros da Ferrari trabalham para melhorar a performance do carro e resolver possíveis problemas no motor, incluindo análise de dados e medidas contra o superaquecimento, apresentado no Bahrein.

[Fonte: tazio.uol.com.br] - Autor: Da Redação  - Foto: Google

“Prefiro fazer as coisas com calma”, afirma Petrov

Russo espera não cometer mais erros e fala sobre o apoio dos fãs de seu país

Vitaly Petrov, da Renault, mostrou-se confiante para sua segunda corrida na F-1, o GP da Austrália, que será realizado no próximo fim de semana, em Melbourne.

O primeiro piloto russo da história da categoria disse que precisa ter calma para não cometer mais erros e ter uma boa atuação em Albert Park.

Prefiro fazer tudo com calma. Tenho muito tempo pela frente e, apesar de a F-1 ser mais difícil do que qualquer outra categoria, você tem que fazer o melhor trabalho possível no carro. Me sinto muito melhor depois de ter feito minha primeira largada, ganhar algumas posições na primeira volta e lutar com os carros ao meu redor.

Meu objetivo, agora, é chegar o mais perto possível do top 10, sem cometer nenhum erro, prosseguiu.

Petrov falou também a respeito do apoio dos fãs da Rússia, que pela primeira vez têm a oportunidade de ver um piloto local na maior categoria do automobilismo mundial.

Até agora, o apoio da Rússia tem sido fantástico. F-1 ainda é algo novo para o meu país, então as pessoas estão aprendendo sobre isso o tempo todo e descobrindo os diferentes aspectos deste esporte.

Houve muita emoção e mensagens de apoio, por isso tenho que dizer um muito obrigado a todos os fãs por lá. Quando eu entro no carro, no entanto, estou focado no gtrabalho. É um grande impulso ter o apoio do meu povo, mas não sinto pressão extra sobre os meus ombros, completou.

[Fonte: tazio.uol.com.br] - Autor: Da Redação  - Foto: Google

Kubica crê que Renault será melhor em Melbourne

Polonês afirma que time ainda precisa melhorar, mas aposta em bom resultado

Após estrear pela Renault, no GP do Bahrein, Robert Kubica tirou as primeiras impressões da competitividade do R30 em comparação às demais equipes do grid.

Realista, o polonês admite que ainda é preciso melhorar em várias áreas, mas crê que a pista de Melbourne, na Austrália, será mais favorável aos carros franceses do que foi a pista de Sakhir, que abriu o Mundial de 2010.

Tivemos um inverno muito intenso, trabalhando duro para entender e melhorar o carro. Por isso, foi bom finalmente poder comparar onde estamos, disse. Preciso de mais algumas corridas para realmente avaliar a situação, mas estou muito otimista.

O fim de semana no Bahrein, basicamente, confirmou a sensação que tive em Valência, no primeiro teste, em termos de onde o carro é forte e de onde ainda podemos melhorar.

No geral, antes do início da temporada, tinha a sensação de que Melbourne seria um circuito melhor para nós do que o Bahrein. Agora que vimos os outros carros correndo e recolhemos mais informações sobre onde estamos, acho ainda mais que será um circuito bom para nós.

A pista tem baixa aderência no início do fim de semana e você precisa de muita aderência mecânica, estabilidade e frenagem, por isso espero que possamos ter um forte desempenho e que possamos tirar o máximo de potencial do carro, completou.

[Fonte: tazio.uol.com.br] - Autor: Da Redação  - Foto: Google

Chandhok admite: “Nunca pilotei em Melbourne”

Indiano diz que ver Hispania chegar ao fim da prova seria um “feito fantástico”
 
Às vésperas de disputar seu segundo GP de F-1 na carreira, Karun Chandhok, da Hispania, mostrou-se ansioso para andar em Albert Park, na Austrália.

O indiano, que divide a equipe com Bruno Senna, teve atuação problemática no GP do Bahrein e abandonou após errar o caminho do trecho novo da pista de Sakhir, o que causou uma batida.

Estou realmente ansioso para a minha segunda corrida de F-1, neste fim de semana, comentou. Nunca guiei em Melbourne, mas sou um aluno muito aplicado.

Pude trabalhar em um simulador da equipe antes da corrida, o que vai me ajudar na familiarização com a pista. Nosso próximo passo com os engenheiros do time é fazer com que o carro esteja confiável para a prova.

O segredo da preparação é completar o máximo de voltas possível na sexta-feira, para ver onde estamos com o carro. Terminar a corrida seria um feito fantástico, então faremos tudo para isso, completou.

[Fonte: tazio.uol.com.br] - Autor: Da Redação  - Foto: Google