Arquivo

Posts Tagged ‘Nico Rosberg’

Massa: “Problema nos motores não é sério”

Piloto da Ferrari explica o que houve no Bahrein e diz o que muda na Austrália

Apesar de ter conquistado a segunda colocação no GP do Bahrein, etapa que abriu a temporada 2010 da F-1, o piloto Felipe Massa sofreu com problemas no motor de sua F10, o que o obrigou a poupar combustível nas voltas finais.

Nesta quinta-feira, em Melbourne, onde os pilotos se preparam para o GP da Austrália, o brasileiro explicou o que houve no motor e disse que o problema ainda não foi totalmente resolvido, mas não chega a incomodar por ora.

Realmente eu tive um problema durante a corrida inteira. A temperatura no meu carro estava muito alta e isso fez com que desde o começo eu usasse uma carburação que precisava de muito mais gasolina, porque isso fazia a temperatura baixar. Era certeza que eu ia tirar o pé nas últimas 25 voltas. A hora de tirar o pé foi depois da primeira parada, senão eu não iria chegar ao final da corrida, explicou.

Problema de consumo a gente não tem. Melhoramos muito do ano passado para esse ano, completou Massa, dizendo que não procedem as informações da imprensa italiana de que a Ferrari já trabalharia uma versão “B” da F10. É lógico que tivemos um problema. Não foi uma quebra. A gente tem oito motores para usar o campeonato inteiro. Isso quer dizer treinos de sexta e sábado. Aqui, vamos usar o mesmo motor, então isso não é um problema sério e realmente acho que fizemos bem trocar o motor no Bahrein.

Massa comentou o desempenho dos carros da Ferrari no Bahrein e disse que com certeza o resultado foi melhor do que o esperado. Entretanto, ele reconheceu que a Red Bull estava mais forte na disputa.

Não fomos os mais rápidos na classificação. Se o [Sebastian] Vettel não tivesse um problema, ele venceria, com certeza, porque o ritmo dele era muito bom. Esse é mais um motivo que temos para trabalhar e ter o melhor carro dentro da pista. Na primeira corrida acho que a Red Bull esteve melhor. A cada corrida tem equipe que traz uma peça nova no carro, muda o jeito de usar pneus, etc., mas acho que a gente tirou mais do que podíamos na corrida.

Sobre Michael Schumacher, seu amigo e que neste ano retornou à F-1 após três anos aposentado, Massa diz que ainda é um pouco cedo para dizer se ele tem ou não a mesma capacidade de antes e que não se pode dizer que ele foi superado por Nico Rosberg logo de cara.

Foi a primeira corrida do ano, em uma pista onde ninguém andou na pré-temporada. O Rosberg é um excelente piloto, pode ser mais rápido que o Michael ou que qualquer um. É muito difícil um piloto como ele perder o talento, mas ele ficou três anos fora. As coisas podem melhorar durante as corridas.

[Fonte: tazio.uol.com.br] - Autor: Da Redação  - Foto: Google

Para Brawn, Mercedes ainda não está competitiva

Ross Brawn, chefe da equipe Mercedes, demostrou satisfação com o desempenho de Nico Rosberg e Michael Schumacher no GP do Bahrein.

O dirigente ressaltou importância do trabalho de equipe que os dois pilotos realizaram e acrescentou que o W01 ainda precisa de alguns ajustes para alcançar as escuderias Ferrari e Red Bull.

A equipe fez um bom trabalho no Bahrein, mas aceitamos que não estávamos suficientemente competitivo e que temos trabalho a fazer para diminuir a diferença para os líderes, disse Brawn.

Fiquei muito satisfeito com o desempenho de Nico e Michael, e a maneira que eles trabalharam juntos para fornecer um feedback limpo e consistente para desenvolver o carro durante o fim de semana, acrescentou.

Embora nosso carro é fundamentalmente forte, temos um plano de desenvolvimento em vigor para as próximas corridas que deve trazer as melhorias de desempenho necessários para competir na frente, encerrou.

[Fonte: amigosdavelocidade.uol.com.br] - Autor: Da Redação - Foto: Google

Mercedes aposta em bom retrospecto na Austrália

Rosberg conquistou seu 1º pódio em Melbourne; Schumi destaca simpatia local

Nico Rosberg e Michael Schumacher, atual dupla de pilotos da equipe Mercedes, aposta no bom retrospecto que têm no circuito de Melboune, onde acontece o GP da Austrália, para conquistarem uma boa colocação na próxima corrida.

Para o ex-piloto da Williams, o local marca a conquista de seu primeiro pódio, o que tem um significado especial em sua carreira.

O GP da Austrália é sempre muito satisfatório para mim. Fiquei na zona de pontuação nas minhas três últimas corridas e consegui meu primeiro pódio lá em 2008, quando terminei em terceiro.

Melbourne é uma ótima cidade e realmente gosto de visitar o circuito de rua de Albert Park. É um traçado muito desafiador, já que as ruas estão sujas para começar e há muito “bump” no asfalto, completou.

Já Schumacher diz que sua simpatia pelo local vem de longa data e que procurou desta vez chegar com bastante antecedência para estar em grande forma para a corrida.

A Austrália sempre foi um dos pontos altos no calendário da F-1 e isso nunca mudou para mim durante todos os anos em que competi.

Como anteriormente, cheguei bem antes e passei alguns dias treinando, me adaptando e relaxando para estar em forma e descansado para o final de semana. Tenho ótimas memórias de Melbourne e, na maior parte das vezes, vemos corridas interessantes lá, completou.

[Fonte: tazio.uol.com.br] - Autor: Da Redação  - Foto: Google

Chefe da Mercedes não vê problemas com Schumi

Para Nick Fry, heptacampeão está igual a Rosberg em termos de adaptação

Nick Fry, CEO da equipe Mercedes de F-1, disse que não vê motivos para que as pessoas se preocupem com a forma de Michael Schumacher, sexto colocado no GP do Bahrein, o primeiro que disputou após sua aposentadoria, em 2006.

De acordo com o dirigente, existe somente a questão de adaptação aos novos pneus e o fato de a equipe alemã precisar melhorar seus carros para permitir que sua dupla, formada por Schumacher e Nico Rosberg, vença.

De verdade, não notei diferenças entre na resposta de Schumacher e de Nico. Penso que ambos sabem o que desejam para melhorar o carro e que os dois são consistentes em seu ponto de vista. Não é nada que eu tenha ouvido em particular de Michael, afirmou.

O dirigente, no entanto, disse que ficou impressionado com a maneira com que Rosberg enfrentou o heptacampeão. O filho de Keke Rosberg terminou à frente de seu companheiro de equipe no Bahrein, na quinta colocação.

Fiquei incrivelmente impressionado com a performance de Nico desde o momento em que soube que Michael integraria a equipe. Apesar de às vezes o foco ser Michael, isso parece que não o perturba. Ele está fazendo seu trabalho. Provou novamente o quão rápido pode ser e penso que continuará melhorando.

Para Fry, a combinação entre Schumacher, Rosberg e Ross Brawn fará com que a equipe alemã se torne vencedora.

Estou muito confiante. É uma boa equipe, os pilotos parecem que trabalham bem juntos e acho que saímos do Bahrein sabendo que temos um trabalho duro pela frente. Temos grande potencial pela frente e isso é o que conta.

[Fonte: tazio.uol.com.br] - Autor: Da Redação  - Foto: Google

Fatos, curiosidades e números do Bahrein

O GP do Bahrein foi apenas a primeira corrida, mas pode dizer muito do que será a temporada deste ano da Fórmula 1. A começar pelo fato de a categoria ter uma nova dinâmica de disputa: sem reabstecimento, com carros mais pesados e pneus resistentes, a estratégia perdeu boa parte de sua importância.

Há que se destacar, também, a grande diferença de tempos entre as equipes já estabelecidas e as estreantes – Lotus, Virgin e Hispania – que criou praticamente uma competição paralela.

A dobradinha da Ferrari com vitória de Fernando Alonso também mostra que, pelo menos nas provas com as características de Sakhir – alta temperatura e baixa umidade – a equipe começa o ano como favorita, tendo como maior adversárias, pela ordem, Red Bull, McLaren e Mercedes.

Veja os principais fatos, curiosidades e estatísticas do GP do Bahrein:

O vencedor – Fernando Alonso (ESP/Ferrari)

Tornou-se o quinto piloto nos 60 anos de Fórmula 1 a estrear com vitória pela Ferrari; antes dele, apenas Juan Manuel Fangio (1956), Giancarlo Baghetti (1961), Nigel Mansell (1989) e Kimi Raikkonen (2007) tiveram início tão bom na escuderia italiana;

Voltou a subir ao topo do pódio após 18 corridas, maior jejum desde que venceu pela segunda vez, no GP da Malásia de 2005;

A vitória foi apenas a segunda do espanhol desde o fatídico GP de Cingapura de 2008, quando Nelsinho Piquet bateu de propósito, a mando da chefia da Renault, para ajudá-lo;

Além do bom desempenho na prova, Alonso tem um número a seu favor na disputa pelo título: em 31 dos 60 Mundiais disputados até hoje, o vencedor da primeira corrida foi também o campeão.

Em oito dos últimos dez anos, o vencedor da primeira prova levou o título – foi assim com Schumacher (2000, 2001, 2002 e 2004), Alonso (2006), Raikkonen (2007), Hamilton (2008) e Button (2009). As exceções foram Schumacher, em 2003, e Alonso, em 2005.

A dobradinha da Ferrari

Com o segundo lugar de Felipe Massa, a Ferrari chegou à 80ª dobradinha de sua história, um recorde absoluto na Fórmula 1. A última vez que a escuderia havia feito primeiro e segundo lugares em uma prova fora no GP da França de 2008, quando Felipe Massa venceu com Kimi Raikkonen em segundo lugar;

A última vez que a Ferrari começou a temporada com dobradinha foi em 2004, com Michael Schumacher e Rubens Barrichello na Austrália. Naquele ano, a equipe venceu 15 das 18 corridas da temporda, sendo 13 com o alemão e duas com o brasileiro; em oito destas vitórias, houve dobradinha da escuderia.

Em 2009, a temporada também começou com uma equipe colocando seus pilotos em primeiro e segundo lugar: a Brawn fez o campeão, Jenson Button, e o terceiro colocado no Mundial, Rubens Barrichello.

Felipe Massa, o retorno

Em sua primeira corrida desde o acidente na Hungria em julho de 2009, o brasileiro conseguiu encerrar um jejum na carreira: é a primeira vez que ele consegue subir ao pódio na prova inaugural do campeonato. Antes, o melhor desempenho era o sexto lugar na Austrália, em 2007.

Curiosamente, Massa retornou de seu acidente com um segundo lugar, exatamente como Michael Schumacher, em 1999 – o alemão, também na Ferrari, quebrou a perna no GP da Inglaterra e voltou na Malásia, no mesmo ano.

O novo velho Schumacher

Em seu retorno à Fórmula 1, o heptacampeão largou em sétimo. Exatamente como em sua primeira prova, o GP da Bélgica de 1991, pela Jordan. Desta vez, contudo, ele foi além da primeira curva, e terminou a corrida com um sexto lugar;

A estreia na Mercedes, aliás, não pode ser considerada ruim se levarmos em conta que o alemão jamais subiu ao pódio em sua primeira prova em uma equipe. Na Jordan, ele abandonou; na Benetton, foi quinto; na Ferrari, quarto.

Ao ser superado por Nico Rosberg no treino de classificação e na corrida, Schumacher experimentou uma sensação incomum na carreira. Ele jamais terminou um Mundial com desvantagem para um companheiro de equipe.

Os estreantes brasileiros

Os dois pilotos do país que estrearam no Bahrein abandonaram a prova: Lucas di Grassi parou na segunda volta, e Bruno Senna, na 17ª. O desempenho de ambos, contudo, não é o pior de um brasileiro na prova de estreia: Mauricio Gugelmin andou apenas 100 metros na estreia, em Jacarepaguá-1988; Felipe Massa não passou a primeira curva na Austrália, em 2002.

Senna x Senna

Para efeito de comparação entre tio e sobrinho, Ayrton Senna estreou na Fórmula 1 no GP do Brasil de 1984. Largou em 16º e completou apenas oito voltas, antes de abandonar com um problema no motor turbo de sua Toleman. Por incrível que pareça, na estreia, Bruno superou o tio.

[Fonte: espnbrasil.terra.com.br] - Autor: ESPN - Foto: Google

Com retorno discreto em sexto lugar, Schumacher sai satisfeito: ‘Foi divertido’

Heptacampeão volta à Fórmula 1 após três anos de aposentadoria

Após três anos de aposentadoria, Michael Schumacher está oficialmente de volta à Fórmula 1. Mas ainda sem brilhar como nos bons tempos. Aos 41 anos, o alemão da Mercedes terminou o GP do Bahrein em sexto lugar neste domingo, ganhando apenas uma posição em relação à largada. Apesar da atuação discreta, o heptacampeão mundial afirmou que se divertiu durante a prova.

De todo modo, foi divertido, especialmente no início. Depois do começo da corrida, é preciso ter sorte de ir no ritmo e não errar. Agora nós estamos trabalhando para melhorar – afirmou Schumi à rede de TV “BBC”.

Com experiência de sobra, o alemão lembrou que até os erros mais discretos podem mudar os rumos da corrida.

Ultrapassar é basicamente impossível, exceto quando alguém comete um erro. Lewis Hamilton teve um pequeno erro, e Nico Rosberg o passou, mas depois ele recuperou a posição em uma parada. É assim que funciona – afirmou Schumi.

[Fonte: globoesporte.globo.com] - Autor: GloboEsporte - Foto: Google

[Fotos] Veja as imagens “Grande Prêmio do Bahrein”

(Circuito de Sakhir – 14/03 – Grande Prêmio do BahreinEspanhol conta com problema no carro de Vettel para liderar dobradinha vermelha. A F-1 voltou ao normal na etapa de abertura do Mundial de 2010. Fernando Alonso ficou com a vitória no circuito de Sakhir e liderou a dobradinha da Ferrari, com Felipe Massa na segunda posição.

[Fonte: f1shortmessage] - Autor: Da Redação - Foto: Google