Arquivo

Posts Tagged ‘Mercedes GP-Petronas’

Rosberg :”J’apprécie vraiment Bahreïn”

 

Nico Rosberg ne cache pas son impatience à une semaine du coup d’envoi de la saison, à Bahreïn, un circuit qu’il affectionne tout particulièrement.

C’est sur le même tracé de Sakhir que l’Allemand a débuté sa carrière en Formule 1 avec Williams, en 2006. A l’époque, il avait réalisé un excellent Grand Prix en décrochant le meilleur tour en course et terminant à la septième place.

Après quatre saisons chez Williams, Nico Rosberg entame à présent un nouveau chapitre dans sa carrière avec Mercedes GP, aux côtés de son compatriote Michael Schumacher. Une équipe dans laquelle il se sent déjà chez lui.

Le début d’une nouvelle saison de Formule 1 est toujours un moment excitant, en particulier quand vous avez une nouvelle équipe dans laquelle s’installer et une nouvelle marque de voiture à laquelle s’habituer. Ce fut un processus vraiment sympa de s’intégrer dans Mercedes GP Petronas. Tout le monde a été très accueillant et je me sens déjà tout a fait chez moi ici,” a déclaré Nico Rosberg dans la preview de son équipe.

Il est également revenu sur les essais hivernaux effectués en février. Après des débuts difficiles pour trouver la bonne direction dans les réglages de la monoplace, Nico Rosberg est maintenant convaincu que son équipe a le potentiel pour bien faire.

Notre programme d’essais de pré-saison s’est assez bien passé en février. Nous avions certaines inquiétudes sur le fait que nous n’étions pas capables de trouver la bonne direction pour extraire le maximum de potentiel de la voiture. Mais en travaillant dur, nous avons pu trouver la direction et nous avons terminé les essais sur une bonne note.”

Nous avons aussi un bon package d’améliorations à venir pour Bahreïn, ce qui devrait développer la voiture davantage, et je suis donc assez optimiste quant au fait que nous allons bien faire. Bahreïn est un circuit que j’apprécie vraiment, ça devrait donc être un bon début de saison dans l’ensemble.”

[Source: Toile F1] - Écrit par Gregory Demoen - Photo: Google

Fotos/Photos

Barcelona acoge el ‘Gran Premio Cero’

Ya está aquí los últimos entrenamientos antes de encarar el inicio de la temporada en Bahréin, el próximo 14 de marzo. Todos los equipos, con la excepción de Campos Meta y USF1, probarán en el Circuit de Catalunya.

Se le puede llamar Gran Premio Cero por ser los últimos tests de la pretemporada, aunque lo más seguro es que los tiempos, como regla general de los tests, no son fiables al cien por cien, por aquello de que es más que difícil saber a ciencia cierta queé condiciones rueda cada equipo. Sin embargo, los equipos no tendrán más oportunidades hasta el 12 de marzo (entrenamientos libres del viernes) para poder ver el funcionamiento real de sus respectivos monoplazas.

Como suele ser habitual en la pretemporada desde hace algunas temporadas, el Circuit de Catalunya, sede del Gran Premio de España, acoge los últimos tests, en los que estarán presentes todos los equipos con el coche ya presentado. Es decir, los mismos que la semana pasada estuvieron en Jerez y que, a diferencia de los esperados en la parrilla de Sakhir, solo faltarán Campos Meta y USF1, cuyo futuro sigue siendo una gran incógnita.

Como avanzó Fernando Alonso en la ciudad andaluza, todos los equipos llevarán a Barcelona las últimas mejoras previstas antes de Bahréin y, como resultado, se podrían calificar a los monoplazas como unos coches completamente nuevos y distintos a los vistos en Jerez. Además, en el caso de la Scuderia, veremos por primera vez al F10 rodar descargado de gasolina, en búsqueda de los mejores cronos y probándolo de cara a la calificación de Bahréin. Es, entonces, cuando se podrá ver el trabajo final de la fábrica de Maranello con un coche del que el asturiano asegura que no hay señal para ser pesimista de cara a la lucha por el título. Un apunte más sobre el equipo italiano y de especial interés para la afición española: Alonso probará jueves y viernes, dejando el fin de semana para su compañero Felipe Massa.

El bicampeón coincidirá en pista con Pedro M. de la Rosa y con Jenson Button (jueves) y Lewis Hamilton (viernes), el único reparto hecho público a día de hoy, días que, seguramente, no serán del agrado al 100% de la afición española, que seguramente hubiera preferido tenerlo el fin de semana en pista. De Jaime Alguersuari o Michael Schumacher todavía se desconoce cuando estarán en pista, como también si Andy Soucek, flamantemente anunciado como piloto reserva de Virgin, rodará con el VR-01.

Después de dos semanas en Jerez en la que el mal tiempo ha sido el denominador común (miembros de Red Bull, Toro Rosso, Force India, Renault, Lotus y Bridgestone vivieron una odisea para tomar el avión que les llevara de Jerez a Barcelona por culpa de la climatología), los equipos vuelven a mirar al cielo: A día de hoy las previsiones son optimistas y no auguran lluvia para los últimos cuatro días de tests, aunque los cielos estarán nublados.

[Fonte: motor21.com] - Autor: Borja Igual - Translate: PT, EN, JP, IT and DE.

Lições de Jerez de la Frontera

Lucas Di Grassi em Jerez de La Frontera – 13Fevereiro2010

Ico, repórter especial do Tazio, conta suas impressões dos últimos testes

A partir desta quinta-feira, onze equipes da F-1 estarão reunidas em Barcelona para o último teste da pré-temporada. A previsão de um clima ameno e sem chuvas anima os pilotos e engenheiros, depois de dias de muita chuva na semana passada em Jerez de la Frontera.

Mas se a água atrapalhou a programação das equipes, ele não influiu na quilometragem acumulada: foi o teste coletivo em que as equipes mais andaram até agora.

Depois de conversar com alguns pilotos, engenheiros e jornalistas que estiveram em Jerez na última semana, foi possível tirar algumas conclusões. No momento, não há nenhuma equipe claramente há frente das outras, mas os times parecem divididos em três pelotões.

Na frente estão McLaren, Mercedes, Red Bull e Ferrari – com a equipe de Michael Schumacher apresentando ainda uma ligeira desvantagem. O pelotão do meio traz Williams, Renault, Force Índia, Toro Rosso e Sauber – os suíços, aparentemente um pouco à frente. Por último, ainda lidando com as dificuldades inerentes de um projeto inteiramente novo, temos Virgin e Lotus.

Mas isto não significa que o quadro permanecerá assim até o GP do Bahrein. A maioria das equipes vai trazer modificações importantes nos carros para os testes de Barcelona. Num quadro de equilíbrio como este, uma idéia que dê certo pode lançar um time lá na frente.

Vale frisar também que nenhuma equipe fez ainda uma simulação de corrida – as que tentaram, foram atrapalhadas por bandeiras vermelhas. Ou seja, ainda há o que aprender antes de traçar os planos de acerto e estratégia para a abertura da temporada.

Confira abaixo alguns detalhes do estágio em que cada equipe está:


  

McLaren (4.072 kms percorridos na pré-temporada) – Jenson Button conseguiu o melhor tempo absoluto da semana passada em Jerez e a impressão geral é de que o time inglês está com uma das melhores performances do grid, especialmente numa volta rápida. O carro quebrou pouco, mas ainda existem algumas áreas de preocupação quanto à confiabilidade.


Mercedes (4.260 kms percorridos na pré-temporada) – O carro não apresentou um único defeito na última semana, mas o equilíbrio preocupa os pilotos já que a traseira do W01 fica instável nas freadas. O time pretende sanar o problema com um grande update para Barcelona. Em termos de velocidade, o carro não deve em nada para os dos seus principais adversários na temporada.


Red Bull (2.981 kms percorridos na pré-temporada) – O RB6 é um carro veloz, em condições de classificação e de corrida, o que deixa o time de Sebastian Vettel e Mark Webber numa boa posição para o início da temporada. Mas alguns defeitos mecânicos, e uma quebra do motor Renault em Jerez deixaram algumas dúvidas quanto à confiabilidade do modelo.


Ferrari (5.319 kms percorridos na pré-temporada) – É dos times de ponta o que melhor solucionou o problema de graining dos novos pneus Bridgestones, apresentando tempos muito consistentes em ritmo de corrida. O F10 também é resistente, mas aparenta estar um pouquinha atrás de McLaren e Red Bull com o carro leve. Fernando Alonso, porém, esbanjou tranqüilidade depois dos testes: Ainda não mostramos todo nosso potencial“.


Williams (5.097 kms percorridos na pré-temporada) – Teve um desempenho de uma equipe bem estabelecida no pelotão intermediário, mas não tão perto das equipes de ponta. Mas o diretor da Cosworth, Mark Gallagher, afirmou que o motor ainda não foi exigido ao máximo, com o foco concentrado na sua resistência. A base é boa e, se o motor tiver reservas, o time de Rubens Barrichello pode causar algumas surpresas.


Renault (3.776 kms percorridos na pré-temporada) – O segundo melhor tempo da semana obtido por Robert Kubica não ilude a ninguém dentro da equipe. O R30 apresentou dificuldades em manter um bom ritmo de corrida e o time ainda trabalha para encontrar um acerto básico para o modelo que agrade aos pilotos. Está no pelotão intermediário, mas ainda falta muito para incomodar os times de ponta.


Force India (2.626 kms percorridos na pré-temporada) – O carro mostrou um bom potencial nos setores mais velozes de Jerez de la Frontera, mas problemas de graining nos pneus influenciaram negativamente no ritmo de corrida da equipe. A expectativa é de que temperaturas mais altas e mudanças no acerto solucionem o problema.


Toro Rosso (4.316 kms percorridos na pré-temporada) – Outra equipe do pelotão intermediário que deixou uma boa impressão. O ritmo de corrida do STR5 é bom e o modelo não teve nenhum problema grave de resistência. Falta ainda melhorar a performance do carro em voltas rápidas e decidir qual tipo de freio deixa os pilotos mais à vontade.


Virgin (1.023 kms percorridos na pré-temporada) – Enfrentou um problema hidráulico persistente na última semana, o que atrapalhou demais o trabalho de desenvolvimento do VR-01. A prioridade da equipe de Lucas di Grassi em Barcelona é melhorar a confiabilidade do modelo, para chegar ao Bahrein ao menos com a confiança de terminar a prova. Em termos de performance, o time se mostrou melhor que a Lotus neste início.


Lotus (1.395 kms percorridos na pré-temporada) – Em sua primeira semana de atividades, viveu um quadro oposto ao da Virgin. O T107 se mostrou bastante confiável e os pilotos da Lotus puderam completar uma extensa quilometragem. Mas a velocidade do carro demonstrou que ainda há muito a fazer para melhorar a performance. A distância para o pelotão intermediário ainda é enorme.


Sauber (3.440 kms percorridos na pré-temporada) – Perdeu muito tempo em Jerez com um problema na bomba de combustível. Aparentemente solucionado. Na pista, o carro do time deixou uma boa impressão em todas as condições e Kamui Kobayashi encerrou a semana com o 3° melhor tempo. Deve começar o ano bem, mas a falta de recursos pode frear o desenvolvimento de um carro com um bom potencial.

 

[Fonte: tazio.uol.com.br] - Autor: Ico - Foto: Google

Sexto do dia, Schumacher se surpreende com recepção em sua volta

O alemão Michael Schumacher, da Mercedes, foi o sexto mais rápido nos testes realizados em Jerez de la Frontera nesta quinta-feira.

De volta à Fórmula 1 após três temporadas e dono de sete títulos mundiais na principal categoria do automobilismo mundial, ele não esperava uma recepção cordial dos demais pilotos.

Estou surpreso pelas reações. Todo mundo está contente por voltar a estar comigo, declarou o alemão. Experiente, o piloto prevê que o clima dure pouco. Sei que as coisas mudarão na pista, declarou o veterano, companheiro do também alemão Nico Rosberg na Mercedes.

Depois de ganhar dois títulos na Bennetton (1994 e 1995) e cinco na Ferrari (entre 2000 e 2004), Schumacher anunciou sua aposentadoria na temporada de 2006. Em 2010, no entanto, resolveu voltar à Fórmula aos 41 anos para pilotar pela sucessora da Brawn GP.

Em seus primeiros testes para o campeonato desta temporada, Schumacher ainda se habitua ao novo carro. Nesta quinta-feira, o alemão registrou o sexto melhor tempo (1min21s083), à frente do espanhol Fernando Alonso, da Ferrari (1min21s424). No volante da Sauber, o japonês Kamui Kobayashi foi o mais rápido (1min19s950).

Para Michael Schumacher, no entanto, a posição ao final do dia não é importante neste momento. Me sinto bem. O objetivo agora é fazer o máximo de voltas e quilômetros possíveis, e não tanto afinar o carro, porque ainda temos tempo, encerrou o alemão.

[Fonte: espnbrasil.terra.com.br] - Fotos: Google

Liuzzi: “Até agora, nenhum carro me impressionou”

Italiano crê que disputa no GP do Bahrein, prova que abre o campeonato, será dura

Vintantonio Liuzzi, 5º colocado na tabela de tempos do segundo dia de testes em Jerez de La Frontera, na Espanha, comemorou o desempenho da Force India.

Para o italiano, não há, ainda, uma equipe com um desempenho claramente superior para iniciar o campeonato de forma dominante. Além disso, Tonio crê que o modelo VJM03 pode ser competitivo e lutar por boas posições desde o início da temporada.

Só estive na pista ao mesmo tempo em que eles quando não estava utilizando uma configuração competitiva, explicou. Não vi muitos carros que particularmente tenham me impressionado, devo dizer isso.

Não quero dizer que temos um carro vencedor, mas no ano passado, ficou claro que a Brawn estava um passo à frente desde o início. Neste ano, acho que haverá uma luta muito maior no Bahrein.

Nosso carro parece ter nascido bem. Ele reagiu muito bem hoje em termos de confiabilidade e completou cerca de 80 voltas sem grandes problemas.

Fizemos várias mudanças no acerto e o carro reagiu muito bem. Gosto do VJM03 porque parece ser um carro de verdade, tem boas respostas cada vez que tento mudar algo. Portanto, somando tudo isso, o feedback é bastante positivo.

Até chegarmos ao Bahrein, não sabemos, realmente, o que pode acontecer, mas estamos otimistas, encerrou.

[Fonte: tazio.uol.com.br] - Fotos: Daylife

“Williams teve problemas técnicos”, diz Hulkenberg

Jovem alemão completou apenas 67 voltas, mas marcou o quarto melhor tempo

Nico Hulkenberg testa em pista molhada
 
Dono do quarto melhor tempo do segundo dia de testes da F-1 em Jerez de La Frontera, Nico Hulkenberg, da Williams, revelou ter tido um dia difícil a bordo do novo carro da equipe.

Hoje foi um dia muito difícil, pois tivemos alguns problemas técnicos, mas ainda estou me sentindo bem com relação ao carro, explicou o jovem alemão.

Claro, eu gostaria de ter tido mais tempo na pista, mas as coisas aconteceram como tinham que acontecer.

No geral, foram dois dias bons. O carro é bom, encerrou.

[Fonte: tazio.uol.com.br] - Fotos: Google