Arquivo

Posts Tagged ‘Sakhir’

Novo procedimento de Parque Fechado é aprovado

Carros ficarão na garagem das equipes, mas monitorado por câmeras

Depois de um teste feito no GP do Bahrein, a FIA ganhou a autorização para efetivar o novo sistema de Parque Fechado em 2010.

Ao contrário do que foi feito até o fim do ano passado, quando todos os carros ficavam guardados na mesma garagem, a FIA decidiu inovar: cada equipe pode ficar com o respectivo equipamento, mas uma câmera no teto dos boxes servirá de guardiã.

Cada carro terá uma câmera exclusiva, e o circuito fechado será monitorado por seguranças, que alertarão a FIA se visualizarem alguém modificando o carro. E a câmera é inteligente: ativa o modo de alta definição quando detecta alguma movimentação próxima ao carro.

A experiência feita em Sakhir foi considerada bem-sucedida, e o processo deve ser feito nas etapas restantes desta temporada.

[Fonte: tazio.uol.com.br] - Autor: Da Redação  - Foto: Google
Anúncios

Bruno Senna: “Equipe só deve ter evolução técnica na fase europeia”

A Hispania Racing poderá aproximar-se da Virgin e da Lotus neste final de semana no GP da Austrália, mas o primeiro salto técnico só deverá ser visto a partir da fase européia, cuja abertura será o GP da Espanha, marcado para nove de maio, em Barcelona. A avaliação é do estreante Bruno Senna, que passou por um batismo de fogo na etapa inaugural do calendário no Bahrein.

Bruno está na Austrália há dez dias. Viajou para Sidney na noite da corrida de Sakhir e nesta quarta-feira seguirá para Melbourne, circuito urbano que foi palco de sua primeira vitória no automobilismo. Em 2006, Bruno ganhou três das quatro provas da Fórmula 3 australiana incluídas na programação da Fórmula 1. Sem o problema da adaptação ao traçado, Bruno acredita que as informações coletadas no Bahrein serão úteis para ajudar a HRT F1 Team a alcançar a meta de completar seu primeiro grande prêmio.

Como shakedown, o final de semana no Bahrein pode ser considerado um sucesso. Estamos aprendendo bastante sobre o carro e a equipe e vamos melhorar muito à medida que ganhemos mais quilometragem, comentou Bruno. Agora, a tendência é que nos aproximemos das outras equipes novas, sem contar o aumento na confiabilidade, continuou. Realisticamente, porém, é na Europa que o carro será desenvolvido e a diferença para todas as equipes deverá cair.

Sem ter participado dos testes de pré-temporada, os carros da HRT F1 Team rodaram apenas na pista de Sakhir – Bruno andou nos treinos livres de sexta-feira, mas o companheiro Karun Chandhok conseguiu sair dos boxes apenas para as tomadas classificatórias do sábado. Por isso, os pilotos só conheceram grande parte do corpo técnico da equipe no próprio local.

Tivemos diversas reuniões e procurei passar a eles o máximo possível de informações. Meu relacionamento com eles está melhorando e fiquei contente de ver o pessoal trabalhando com tanto empenho, elogiou Bruno.

[Fonte: espnbrasil.terra.com.br] - Autor: ESPN/AG - Foto: Google

Chandhok admite: “Nunca pilotei em Melbourne”

Indiano diz que ver Hispania chegar ao fim da prova seria um “feito fantástico”
 
Às vésperas de disputar seu segundo GP de F-1 na carreira, Karun Chandhok, da Hispania, mostrou-se ansioso para andar em Albert Park, na Austrália.

O indiano, que divide a equipe com Bruno Senna, teve atuação problemática no GP do Bahrein e abandonou após errar o caminho do trecho novo da pista de Sakhir, o que causou uma batida.

Estou realmente ansioso para a minha segunda corrida de F-1, neste fim de semana, comentou. Nunca guiei em Melbourne, mas sou um aluno muito aplicado.

Pude trabalhar em um simulador da equipe antes da corrida, o que vai me ajudar na familiarização com a pista. Nosso próximo passo com os engenheiros do time é fazer com que o carro esteja confiável para a prova.

O segredo da preparação é completar o máximo de voltas possível na sexta-feira, para ver onde estamos com o carro. Terminar a corrida seria um feito fantástico, então faremos tudo para isso, completou.

[Fonte: tazio.uol.com.br] - Autor: Da Redação  - Foto: Google

Chefe da Sauber: Problema hidráulico está resolvido

Equipe suíça não conseguiu terminar sua corrida de reestreia na F-1, no Bahrein

Willy Rampf, director técnico da equipe Sauber, está confiante de que, apesar dos problemas apresentados no GP do Bahrein, finalmente o C29 conseguirá um bom lugar na etapa da Austrália, que será realizada no dia 28 de março.

Os pilotos Pedro de la Rosa e Kamui Kobayashi abandonaram a disputa em Sakhir por conta de problemas hidráulicos. Além disso, ambos disseram que o traçado não favoreceu seus monopostos.

Após nossa performance desapontadora na Bahrein, temos que nos preparar para a Austrália. Analisamos as informações e as conclusões de forma apropriada. Espero que estejamos significativamente mais competitivos em Melbourne, disse Rampf.

As falhas foram causadas por problemas hidráulicos em ambos os casos, por diferentes razões. Entretanto, para essas questões, nós já temos soluções para a corrida“.

Estou curioso para ver como os pneus funcionarão. No último ano, os componentes mais macios estavam muito degradados após algumas voltas. Mas agora a Bridgestone está nos fornecendo um pneu mais duro, o que, naturalmente, causa impacto em nossos acertos do carro.

[Fonte: tazio.uol.com.br] - Autor: Da Redação  - Foto: Google

Boullier: Renault terá um pacote agressivo para 2010

Dupla da equipe francesa não somou pontos no Bahrein, primeira disputa do ano

Apesar de não ter somado pontos no GP do Bahrein, no último domingo, a Renault se mostrou satisfeita com o desempenho de seu carro. Eric Boullier, chefe do time francês, disse ainda que preparam um pacote agressivo para a Austrália.

Na disputa em Sakhir, Robert Kubica ficou em 11º, apenas uma posição atrás da zona de pontuação, ao passo que Vitaly Petrov abandonou a corrida por conta de problemas na suspensão;

Se não cometermos erros, pilotarmos o carro da forma adequada, então nosso objetivo é estar entre o top 10, disse o dirigente.

Manteremos esse desenvolvimento agressivo na primeira parte da temporada e, a cada corrida teremos um novo pacote, completou.

O dirigente explicou, ainda, que o objetivo do time francês nos testes da pré-temporada não foi conquistar tempos rápidos, mas sim poupar alguns componentes para sua corrida de estreia no campeonato 2010.

Tivemos uma abordagem diferente. Queríamos focar mais na reabilitação e no ritmo de corrida. Sabíamos que poderíamos não ter nosso pacote pronto a tempo, por isso decidimos focar em outra coisa.

[Fonte: tazio.uol.com.br] - Autor: Da Redação  - Foto: Google

Chefe da Force India elogia Liuzzi e crê em pódios

Vijav Mallya destaca o bom ritmo de sua equipe, que somou 2 pontos no Bahrein

Vijav Mallya, dono da equipe Force India de F-1, crê que sua equipe conseguirá subir ao pódio ao menos uma vez nesta temporada, haja vista o bom desempenho do time no GP do Bahrein, que abriu o calendário.

Adrian Sutil e Vitantonio Liuzzi mostraram um forte ritmo em Sakhir. O piloto italiano, inclusive, somou dois pontos após terminar na nona colocação. O alemão foi o 12º.

Da forma como estamos hoje dá para pensar que estamos competitivos e tudo está caminhando como planejado. Em 2009, disse que deveríamos somar alguns pontos ocasionalmente, e nós marcamos 13, o que foi respeitável. Neste ano penso que podemos marcar pontos regularmente.

Não ficaria surpreso se colocássemos como meta um pódio ou dois. E, no próximo ano, devemos conseguir melhores posições e mais pódios, afirmou.

Segundo o dirigente, o modo com que a Force India iniciou o campeonato o deixa bastante confiante para o restante da temporada, já que a equipe está com um ritmo forte.

Acho que nosso ritmo é uma grande melhoria para uma equipe pequena como nós. Em segundo lugar,
muita coisa é falado sobre Tonio. Ele não só provou que pode ser bom, mas pilotou de uma forma bonita. Ele preservou os pneus, foi veloz, e trouxe o carro para casa com alguns pontos. Então, todos os créditos vão para ele
, afirmou.

[Fonte: tazio.uol.com.br] - Autor: Da Redação  - Foto: Google

Coulthard culpa Mosley e equipes por corrida chata

“A ideia das duas paradas obrigatórias foi discutida no inverno”, diz escocês

Assim como Fernando Alonso e Mark Webber, David Coulthard também criticou a falta de ação no GP do Bahrein de F-1.

O escocês se disse partidário da estratégia das duas paradas, e disparou contra Max Mosley, ex-presidente da FIA, dizendo que ele também tem culpa do que aconteceu em Sakhir.

Espero que Max Mosley, assistindo de sua torre após perder o posto de presidente da FIA, tenha gostado do GP do Bahrein, comentou o inglês, em sua coluna ao jornal Daily Telegraph.

A limitação dos giros em 18 mil rotações, o banimento do reabastecimento, caixas de câmbio e motores patrão, um único fornecedor de pneus; todas as iniciativas introduzidas durante seu período na FIA, que provavelmente fariam muito pouco no Bahrein, destacou.

Não quero ser melodramático, já que estou certo que, em condições diferentes como as chuvas de Interlagos, por exemplo a corrida poderia ter sido o clássico que esperávamos. Mas, na verdade, foi um teste de resistência, não uma corrida, continuou Coulthard, que também culpou as escuderias.

As equipes precisam pegar sua parcela de culpa, também. A ideia das duas paradas obrigatórias foi discutida no inverno, mas algumas equipes sentiram que seus carros se adaptariam melhor aos pneus que as outras e não concordaram.

Foi um grande exemplo de engenheiros sendo incapazes de colocarem seus instintos competitivos de lado em prol do espetáculo. Vamos esperar que eles passem a pensar claramente, agora, completou o escocês.

[Fonte: tazio.uol.com.br] - Autor: Da Redação - Foto: Google