Arquivo

Posts Tagged ‘Campeonato Mundial de Fórmula 1’

Kubica surpreendeu e liderou 1ª sessão na Austrália

Polonês da Renault foi o único a virar na casa dos 26s; Rosberg é segundo

O polonês Robert Kubica, da Renault, liderou os tempos da primeira sessão de treinos livres para o GP da Austrália, realizado no circuito de Melbourne. Com 1min26s927, ele superou Nico Rosberg, da Mercedes, 0a199 mais lento, e foi o único a virar na casa dos 26.

Jenson Button fez a terceira melhor marca, seguido por Felipe Massa, que teve atuação discreta com sua F10. Lewis Hamilton, que encabeçou grande parte das atividades, fez o sétimo tempo no final, sendo superado por Sebastian Vettel e Fernando Alonso.

O heptacampeão Michael Schumacher mais uma vez foi superado por seu parceiro na Mercedes e ficou apenas com o 12º tempo. Rubens Barrichello, da Williams, não teve um treino muito expressivo e foi apenas o 16º. Dentre os novatos, Lucas di Grassi, da Virgin, e Bruno Senna, da Hispania, foram 21º e 22º, respectivamente.

Os brasileiros, aliás, foram os responsáveis por abrir o marcador de tempos em Melbourne. Bruno Senna foi o primeiro a ir à pista, seguido por Di Grassi. No duelo das equipes novatas, Bruno levou a melhor, com 1min37s969, 2s à frente de Lucas.

Na sequência, Karun Chandhok, Heikki Kovalainen e Lewis Hamilton marcaram tempos. O inglês da McLaren de cara baixou a marca para 1min28s680. Na Force India, o inglês Paul di Resta guiou o VR-01 no lugar de Adrian Sutil, como parte de um projeto da equipe de dar oportunidade ao piloto de testes nas atividades de sexta-feira.

Kamui Kobayashi, da Sauber, provocou a primeira bandeira vermelha das atividades ao atropelar um cone e sair da pista, o que deixou resquícios de asa no asfalto. No retorno, Jenson Button, parceiro de Hamilton na McLaren, assumiu a liderança na tabela de tempos, com 1min27s482, seguido por Nico Rosberg, da Mercedes.

Definitivamente em um dia não muito favorável, Kobayashi provocou a segunda bandeira vermelha. Entretanto, desta vez a culpa não foi sua, já que a asa dianteira de seu C29 se soltou, fazendo com que o piloto fosse parar na área de escape e abandonasse os treinos livres.

A 16 minutos para o final da sessão, Robert Kubica, da Renault, deu uma volta voadora e quebrou o domínio da McLaren, assumindo a ponta dos tempos com 1min27s249, que, na sequência, foi baixado para 1min26s927. Em atuação discreta, a Ferrari de Fernando Alonso e Felipe Massa figurou na lista dos dez primeiros em grande parte do treino, junto com a Red Bull.

Outra atuação apagada foi a da Williams, com o brasileiro Rubens Barrichello. Ele e seu companheiro de equipe, Nico Hulkenberg, figuraram em grande parte das atividades entre a 15ª e 16ª colocação, bem perto das equipes novatas, que ainda buscam o melhor acerto para o carro.

No final da primeira sessão em Melbourne, Kubica confirmou sua superioridade na pista e finalizou as atividades como o único a virar na casa dos 26s. Massa melhorou seu desempenho e anotou o quarto melhor tempo, atrás de Button e Rosberg, superando Hamilton, que ficou com a sétima colocação.

Treino livre 1:

1°. Robert Kubica (POL/Renault), 1min26s927 ( 22 voltas )
2°. Nico Rosberg (ALE/Mercedes), a 0s199 ( 18 )
3°. Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes), a 0s555 ( 22 )
4°. Felipe Massa (BRA/Ferrari), a 0s584 ( 18 )
5°. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull-Renault), a 0s759 ( 23 )
6°. Fernando Alonso (ESP/Ferrari), a 0s820 ( 21 )
7°. Lewis Hamilton (ING/McLaren-Mercedes), a 0s866 ( 22 )
8°. Sebastian Buemi (SUI/Toro Rosso-Ferrari), a 1s087 ( 21 )
9°. Vitaly Petrov (RUS/Renault), a 1s187 ( 25 )
10°. Vitantonio Liuzzi (ITA/Force India-Mercedes), a 1s265 ( 18 )
11°. Paul Di Resta (ING/Force India-Mercedes), a 1s610 ( 25 )
12°. Michael Schumacher (ALE/Mercedes), a 1s623 ( 19 )
13°. Jaime Alguersuari (ESP/Toro Rosso-Ferrari), a 1s645 ( 21 )
14°. Mark Webber (AUS/Red Bull-Renault), a 1s756 ( 22 )
15°. Pedro de la Rosa (ESP/Sauber-Ferrari), a 2s538 ( 13 )
16°. Rubens Barrichello (BRA/Williams-Cosworth), a 2s785 ( 18 )
17°. Nico Hulkenberg (ALE/Williams-Cosworth), a 3s322 ( 26 )
18°. Kamui Kobayashi (JAP/Sauber-Ferrari), a 4s661 ( 5 )
19°. Jarno Trulli (ITA/Lotus-Cosworth), a 4s725 ( 13 )
20°. Heikki Kovalainen (FIN/Lotus-Cosworth), a 4s727 ( 26 )
21°. Lucas Di Grassi (BRA/Virgin-Cosworth), a 5s904 ( 25 )
22°. Bruno Senna (BRA/Hispania-Cosworth), a 6s474 ( 24 )
23°. Karun Chandhok (IND/Hispania-Cosworth), a 7s324 ( 19 )
24°. Timo Glock (ALE/Virgin-Cosworth), a 7s998 ( 8 )

[Fonte: tazio.uol.com.br] - Autor: Da Redação  - Foto: Google
Anúncios

Bahrein abre a temporada da Fórmula 1

Sakhir tem novo traçado para receber etapa de 2010

O circuito de Sakhir, cenário neste fim de semana do Grande Prêmio de Bahrein, primeira prova do Campeonato Mundial de Fórmula 1 em 2010, teve seu traçado alterado em relação ao do ano passado, e poderá equilibrar ainda mais a disputa pelo lugar mais alto do pódio.

Neste ano, quatro pilotos que já se sagraram campeões da categoria estarão na pista, ao lado de jovens promessas e coadjuvantes que poderão surpreender.

Apesar de o circuito ter sido construído há apenas cinco anos e nunca ter sido alvo de críticas por parte dos pilotos, os organizadores o aumentaram para 6.299 metros, o que o transforma no segundo mais longo do Mundial, depois de Spa-Francorchamps (Bélgica).

A partir da quarta curva do traçado anterior, foram acrescentados 887 metros e oito curvas, com a intenção de oferecer mais pontos de ultrapassagem.

Dono de sete títulos mundiais, o alemão Michael Schumacher fará no Barein seu retorno ao “circo” da F-1 após ficar de fora da categoria nos últimos três anos. O experiente piloto correrá pela equipe Mercedes, criada a partir da aquisição da atual campeã de construtores, a BrawnGP.

Por sinal, o chefe da escuderia será Ross Brawn, o que permitirá a reedição de uma parceria vitoriosa na Ferrari.

Já os cockpits dos lendários carros vermelhos serão ocupados por Felipe Massa – principal esperança brasileira de quebrar um jejum de quase 20 anos sem títulos – e pelo bicampeão espanhol Fernando Alonso, que após amargar duas más temporada na Renault, volta a ter condições de brigar pelas primeiras posições.

Da última vez que isso aconteceu, Alonso estava na McLaren, em 2007, e era companheiro do então novato Lewis Hamilton. Protegido do ex-chefe da equipe, Ron Dennis, o jovem inglês obteve ótimos resultados em sua estreia e dificultou muito a tarefa do espanhol.

No ano seguinte, Hamilton daria início a um período de supremacia inglesa na F-1, conquistando o Mundial, feito que seria repetido em 2009 por Jenson Button pela BrawnGP.

Em 2010, os dois ingleses dividirão os boxes da McLaren, agora chefiada por Martin Whitmarsh. A equipe teve uma boa notícia nesta quinta-feira, com a liberação, por parte da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), do uso de sua polêmica asa traseira.

O aerofólio era contestado por Ferrari e Red Bull desde os testes coletivos da categoria no circuito de Barcelona.

A McLaren se mostrava confiante quanto à liberação de seu aerofólio, mas por via das dúvidas havia preparado um modelo substituto.

O sistema inovador conta com uma entrada de ar na parte de cima do chassi que pode ser aberta e fechada pelos pilotos.

Outro candidato em potencial ao título é o jovem alemão Sebastian Vettel, vice-campeão no último ano com a Red Bull.

Contra Felipe Massa, pesa o fato do motor do modelo F10, da Ferrari, ter um consumo mais elevado que os dos rivais. Com a proibição do reabastecimento, tudo indica que a equipe terá que começar as corridas com mais combustível do que as concorrentes.

Além de Massa, outros três brasileiros disputarão o GP do Barein e o Mundial. Um deles é Rubens Barrichello, terceiro colocado em 2009, e que trocou a BrawnGP pela Williams.

Os outros dois são novatos. Lucas Di Grassi fará sua estreia na F-1 pela também iniciante equipe Virgin, e Bruno Senna, na Hispania, será o responsável por trazer de volta à categoria um de seus nomes mais famosos.

[Fonte: lancenet.com.br] - Autor: EFE - Foto: Google